Dicas

Qual a vida útil de um colchão?

Quando se trata de comprar um colchão, uma grande pergunta que surge é: quanto tempo ele irá durar? Isso ocorre porque você não está apenas fazendo um investimento, mas também está tomando uma decisão com a qual irá conviver por muitos anos. No entanto, não é fácil encontrar a resposta certa para essa pergunta, pois não há uma única resposta. 

A vida útil de um colchão se refere a quanto tempo ele pode manter pelo menos parte de seu conforto e suporte originais. Ao conhecer a vida útil do seu colchão, você pode se preparar com tranquilidade para uma substituição, isso não apenas salvará você de noites desconfortáveis como também evitará despesas médicas com dores nas costas e afins. 

Inclusive, um estudo da Universidade Estadual de Oklahoma relatou melhora significativa na qualidade do sono dos indivíduos participantes após a substituição do colchão. 

Leia também: Dores nas costas: entenda por que o seu colchão pode ser a causa    

Confira abaixo tudo o que você precisa saber sobre a vida útil de um colchão. 

QUANTO TEMPO DEVE DURAR UM COLCHÃO? – Em geral, um colchão deve ser capaz de servir você por vários anos antes que necessite ser substituído. Por outro lado, a expectativa média de vida do item varia de acordo com o tipo de material usado para fabricá-lo e as variadas tecnologias utilizadas (desde tecidos, espumas, molejos e suportes). Cuidados com o item e o clima (lugares extremamente úmidos, muito quentes ou que tenham excesso de luz do sol) também devem ser considerados.

Como resultado, alguns colchões duram mais, enquanto outros precisarão ser substituídos em breve. No entanto, a maioria dos colchões de alta qualidade tem uma vida útil entre cinco e 10 anos, mas pode durar além de 10 anos dependendo do nível de cuidado. Claro que para melhores resultados um colchão deve ser substituído dentro de cinco ou seis anos. A propósito, colchões de espuma e látex tendem a durar mais do que a vida útil média. 

– LÁTEX – Os colchões de látex são perfeitamente ecológicos, altamente superiores e costumam superar todos os outros com base na vida útil. Em média, o item pode durar sete ou oito anos se for mantido adequadamente. Essa longevidade é aprimorada pelo fato de que uma camada desgastada pode ser substituída facilmente por uma nova camada. Além disso, cada camada do colchão pode ser invertida individualmente para permitir um desgaste uniforme. 

– ESPUMA – Os colchões de espuma têm vários modelos, por isso é importante que você entenda que tipo está comprando. Para esse tipo de colchão, a longevidade geralmente está ligada à densidade da espuma: as espumas de baixa densidade são consideravelmente menos duráveis que as de alta densidade e até de média densidade. Normalmente, dura de dois a três anos, podendo chegar até cinco anos nos modelos certificados pelo INMETRO.  

– VISCOELÁSTICO – Conhecido também como colchão de espuma de memória ou espuma da Nasa, esse produto é menos propenso a flacidez, mas isso não quer dizer que seja invencível. O colchão tem uma longevidade média de até 10 anos. Para dar mais vida à sua vida útil, você precisa girá-lo regularmente e cuidar bem dele. 

– COLCHÃO DE MOLAS INTERNAS – A maioria dos colchões com molas internas são construídos com camadas de conforto à base de espuma e bobinas de aço, sem bolso no núcleo de suporte. São mais suscetíveis à flacidez, porém, normalmente, duram de cinco anos (no molejo tradicional Bonnell) até 10 anos (demais molejos). 

– COLCHÃO DE ÁGUA – Esse tipo de colchão tem durabilidade média alta porque não possui molas que possam quebrar como no colchão tradicional. Em média, o item dura entre sete e nove anos, mas pode exceder esse limite com uma boa manutenção. 

– COLCHÃO HÍBRIDO – Esse tipo de colchão é fabricado com um núcleo de suporte de bobina de bolso (como o de um sistema interno) e uma camada de conforto (como a de espuma de memória ou látex). Tem uma vida útil curta e tende a se degradar mais rapidamente em comparação com outros colchões, pois são vulneráveis a flacidez e impressões corporais. 

Em média, um bom colchão híbrido pode durar até seis anos antes da necessidade de substituição. No entanto, sua vida útil dependerá em grande parte do tipo de espuma usada para formar o núcleo do suporte. 

– COLCHÃO DE AR – Esse colchão é popular para aqueles que preferem firmeza personalizada. Em média, esse tipo de colchão dura cinco anos porque o ar começa a vazar após algum tempo. Além disso, a bomba de ar embutida quando danificada é insubstituível.

– COLCHÃO FUTON – Esses colchões não duram muito. Em média, o colchão do futon tende a ter uma longevidade abaixo da média. Com os devidos cuidados, pode durar até cinco anos. 

FATORES QUE AFETAM A VIDA ÚTIL DE UM COLCHÃO – Alguns fatores podem afetar a durabilidade do colchão. São eles: 

– FREQUÊNCIA DE USO – Qualquer item que raramente é usado definitivamente vai durar mais tempo. Da mesma forma, um colchão que não é usado geralmente implica mais tempo de vida e vice-versa. Aliás, é recomendado que a cada 30 dias seja feito o giro do colchão e caso o produto seja dupla face, alternar a cada 30 dias entre virar e girar.  

– PESO CORPORAL – Pessoas com maior massa corpórea exercem mais pressão no colchão, criando muitas compressões, o que reduz a vida útil do item. Consequentemente, dorminhocos com peso médio ou leve exercem pouca pressão no colchão e isso implica em uma vida útil mais longa. 

Logo, ainda durante a compra, observe o suporte de peso adequado para o produto, isso se faz necessário, pois cada produto é desenvolvido para ser adequado a um biotipo, caso utilize um produto que tenha um nível diferente do indicado, comprometerá a vida útil dele. 

– ATIVIDADE – Colocar objetos pesados e afiados em seu colchão pode danificá-lo. Atenção com os derramamentos de líquidos em colchões não impermeabilizados, caso aconteça prejudicará a vida útil do item.  

– LIMPEZA – A limpeza regular pode ajudar a manter seu colchão em boas condições por mais tempo, pois elimina bactérias nocivas, ácaros e outros insetos que podem danificá-lo. Vale lembrar que na utilização cotidiana o produto vai acumulando poeira, impurezas e principalmente suor, que em média são liberados aproximadamente de 0,3 e 0,5 litros de suor por noite, sendo que algumas pessoas são mais propensas a transpirar especialmente em regiões tropicais. 

COMO SABER SE CHEGOU A HORA DE TROCAR DE COLCHÃO? – Existem muitos indicadores que lhe dirão que o seu atual colchão requer uma substituição. Por exemplo, quando você começa a se sentir desconfortável na cama enquanto dorme; quando começa a acordar com dores nas costas, dor no pescoço e rigidez; ou mesmo quando começa a ver sua superfície se desgastando. Sinais comuns de desgaste da superfície incluem flacidez, protuberâncias, inchaços, furos e rasgos. Outros indicadores incluem: 

– Aumento notável nos sintomas de alergia. Afinal, colchões atraem alérgenos e com o tempo seus níveis aumentam ali, o que também aumenta o risco de alergias e asma. 

– Você está dormindo melhor em outro lugar, seja em um hotel ou sofá. Isso mostra que sua cama é desconfortável e seu colchão pode precisar ser substituído. 

– Você está se virando muito à noite. Isso pode ser um indicador de que você não está conseguindo dormir à vontade. E se o seu par também faz o mesmo, significa que seu colchão não reduz mais a transferência de movimento e precisa ser substituído. 

PROBLEMAS COMUNS VS. COMO MELHORAR SEU COLCHÃO – Um colchão é um investimento importante, pois passamos um terço de nossas vidas dormindo. No entanto, existem alguns problemas que você pode encontrar com o item. Alguns podem ser comuns, mesmo com um colchão novo. Portanto, se você os encontrar enquanto o colchão ainda tiver um longo caminho a percorrer, não precisará pensar em uma substituição, a menos que saiba que seu colchão já prestou seu serviço. 
 
– FLACIDEZ RÁPIDA DO COLCHÃO – Quando seu colchão cede, o mais importante é encontrar a causa. Por exemplo, se afundar nas laterais, pode ser o resultado de você sentar nas beiradas para calçar os sapatos ou assistir TV – evite fazer isso. Outros, como os colchões king size, cederão no centro. Para resolver isso, você precisa virar o colchão de outros lados para obter desgaste uniforme.  

– ODOR INICIAL – Alguns colchões de espuma emitem um cheiro químico devido aos materiais e produtos químicos incorporados. No entanto, isso não deve incomodá-lo porque o odor desaparece após alguns dias. Você pode tentar posicionar sua cama em um local aberto e arejado e deixá-la permanecer ali até o cheiro desaparecer. Como alternativa, você pode polvilhar bicarbonato de sódio sobre o colchão para difundir o odor e depois aspirá-lo após uma hora. 

– PERCEVEJOS E INFESTAÇÃO DE ÁCAROS – Os percevejos e os ácaros são resultado de falta de higiene, portanto a primeira e eficaz solução é manter seu colchão limpo. Certifique-se de aspirá-lo regularmente. Além disso, você pode usar uma capa própria para colchão e selar o item. 

– SUPORTE INSUFICIENTE – Esse é um grande problema para muitas pessoas. Não há uma solução única para essa questão porque todos têm preferências próprias quanto à quantidade de suporte. Para resolver isso, você deve escolher cuidadosamente o colchão que possa garantir as suas necessidades ou que mais se adapte a você.   

– FIRMEZA EXTREMA – Existem muitos fatores, como o nível de densidade, que podem fazer com que o colchão pareça muito firme. E um colchão firme pode arruinar sua noite de sono. Existem várias maneiras de “consertar” um colchão firme e fazê-lo se sentir melhor. Usar um pillow top macio é uma delas. Mais uma vez, preste atenção nesse quesito no momento da compra.  

Seja qual for o seu colchão, siga sempre as instruções que constam no manual de uso do produto e preste atenção ao Certificado de Garantia.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *