A imagem mostra os pés de uma pessoa e ao lado um cachorrinho. Ambos estão deitados em uma cama.
Colchões,  Durma melhor,  Saúde

Dormir com cachorro faz mal? Saiba o que é verdade e mentira

Com certeza, você já ouviu falar que o cachorro é o melhor amigo do homem. E é mais do que comprovado que ter um bichinho de estimação por perto, especialmente um cão, só traz benefícios para o bem-estar do ser humano. Eles são sinônimo de diversão e alegria, além de serem os responsáveis por uma amizade que você vai recordar a vida toda.

No entanto, essa proximidade chega a ser tão íntima, que muita gente tem o costume de deixar o cachorro dormindo na cama. Você faz, já fez ou conhece alguém que faz isso? Já parou para pensar se essa ideia de dormir com cachorro faz mal ou é inofensiva? 

Pois bem, é sobre isso que vamos falar neste texto. Para descobrir os mitos e as verdades em torno desse assunto é só seguir com a leitura até o final!

Questões para se pensar

Quando um cachorro entra na nossa vida, é como se a família crescesse, literalmente. Ele não ganha apenas uma casa, mas um lar. E nós não ganhamos apenas um animal, mas um ser que, assim como um filho de verdade, tem lá as suas próprias necessidades e dependências. Uma delas é a carência.

Em uma rotina agitada, repleta de compromissos, é normal que as pessoas passem menos tempo com o próprio cachorro. Contudo, ao chegar do trabalho ou da faculdade, por exemplo, ele sempre estará lá, esperando com extrema expectativa por esse reencontro ao final do dia.

Cachorro com a cabeça deitada em uma cama.
Durante o dia, os cachorros tendem a sentir falta dos donos e exigem mais atenção à noite, quando eles retornam.

É justamente nessas horas que uma das formas de compensar o “tempo perdido”, ou seja, os momentos distantes um do outro [o humano e o cachorro], é colocar o animal para dormir juntinho — especialmente nas noites de frio, não é? Essa solução para matar a saudade de ambos está tudo bem, desde que você considere os seguintes pontos:

Higiene

Tomar banho diariamente é uma questão particular dos humanos. Não funciona do mesmo jeito para os cães. Então, pode ser que nem todos os dias os cães estejam 100% lindos e cheirosos. E dar banho no cachorro diariamente só por isso não é recomendado. 

Esse fato é capaz de potencializar que nós, humanos, tenhamos nosso organismo fragilizado de alguma forma, já que os cães podem entrar em contato com muitas bactérias e outros microrganismos que ainda não conhecemos — e que podem acompanhá-los naqueles momentos de passeios para brincar, etc.

Cachorro tomando banho.
Os cachorros devem tomar banho regularmente, mas não todos os dias.

Um ponto para se avaliar, que acaba influenciando a questão da higiene também, é a idade do animal, pois conforme ele envelhece pode ter diarreia ou incontinência urinária.

Há ainda a questão dos parasitas. Você não quer carrapatos na cama, né? É preciso manter as vacinas em dia e realizar os tratamentos necessários caso eles apareçam.

Alergias respiratórias

Não é segredo para ninguém que os cachorros peludos têm tendência a soltar muito pelo, o que pode ser um pesadelo para as pessoas que sofrem de alergias respiratórias. E parte da população brasileira, especificamente 30%, conforme dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), enfrenta esse problema.

Portanto, o contato direto com alguns animais de estimação, inclusive o cachorro, pode ocasionar ou fortalecer essas alergias, além de micose e outras complicações.

Cachorro com um tufo de pelos ao lado.

Comportamento do animal

Inteligentes e amorosos, o ato de colocar o seu cachorro para dormir com você fará com que ele compreenda que, sim, você o ama. Isso vai fazer com que ele fique ainda mais confiante… para o bem e para o mal.

Mesmo que diferentemente dos gatos, que possuem a natureza felina da dominação, os cães também podem começar a se sentir os “donos do pedaço” e se tornarem um pouco autoritários, ainda mais se a atitude se tornar uma rotina. 

Por outro lado, eles vão se sentir ainda mais queridos por você, o que é um fato! 

Sono humano

Agora, dividir a cama com um cão não é tão diferente de dormir com outro ser humano quando pensamos na questão comportamental. Assim como você, ele também tem as próprias manias, pode se mexer de um lado para o outro, acordar de madrugada, etc.

Tudo isso vai interferir diretamente na qualidade do seu sono. Dependendo, ao invés de ser uma situação agradável, você pode começar a apresentar dores nas costas e até mesmo problemas com insônia, coisas que vão dificultar o seu dia a dia e tornar a hora de dormir um momento desagradável, quando deveria ser prazeroso.

Afinal, faz mal dormir com cachorro ou não?

Não tem segredo, muito menos uma resposta concreta e definitiva para essa pergunta. Vamos ficar com o “depende”? Sim, tudo vai depender se você considerar os pontos que listamos acima, já que cada animal é único e tem suas próprias peculiaridades.

O que vale é tomar alguns cuidados na hora de aderir a esse costume. Alguns deles são:

  • Só colocar o cão na cama quando ele estiver limpo
  • Trocar a roupa de cama semanalmente, especialmente se o animal soltar muito pelo
  • Utilizar protetor impermeável para colchões
  • Limpar as patas do cachorro sempre que ele voltar da rua
  • Utilizar vermífugos periodicamente
  • Dar banho no cão uma vez por semana
  • Manter as vacinas do animal e os exames em dia

Portanto, todos os pontos citados neste texto devem ser observados. Além disso, falar com o médico veterinário e pedir orientações específicas é uma excelente e necessária ideia, faça isso!

Os cuidados são necessários, mas não superam, de fato, os benefícios de ter um animal de estimação sempre por perto.

Cachorro deitado na cama, ao lado de uma mulher asiática.
Ter um cachorro por perto é sempre sinônimo de felicidade e lealdade.

Quer receber mais conteúdos relacionados ao universo do sono diretamente na caixa de entrada do seu e-mail? Preencha o formulário abaixo e não perca nenhuma novidade aqui do blog da Probel. Até a próxima! Bons sonhos para você e para o seu cãopanheiro! 🐾💤

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *