Durma melhor,  Saúde

Entenda a definição e os sintomas da paralisia do sono

Já aconteceu de você ou algum conhecido estar dormindo e, de repente, ao tentar acordar, ficar travado na cama, sem conseguir se mexer e nem mesmo falar? Se sim, saiba que esses são sintomas da paralisia do sono. 

Ficou curioso para entender melhor sobre o assunto, inclusive o que é especificamente, continue a leitura deste texto e compreenda mais sobre esse fenômeno!

Paralisia do sono: sintomas e o que é

De forma sucinta, o Instituto do Sono classifica a paralisia do sono como “uma impossibilidade temporária de se mexer ou falar na transição entre o sono e a vigília”. 

Sendo assim, ela se refere a “um estado de desconexão temporária ou descontinuidade das funções motoras, perceptivas, emocionais ou cognitivas”, impedindo que consigamos realizar movimentos básicos, como falar. Além disso, o corpo pode ser tomado por duas fortes sensações: um aperto no peito e até mesmo alucinações. 

É como se estivéssemos tendo um pesadelo, mas acordados, conscientes de tudo que está acontecendo.

Tipos de paralisia do sono

Ainda de acordo com o Instituto do Sono, o fenômeno pode também ser classificado em três tipos, sendo eles:

  • Intruso: medo, sensação de que há um estranho no recinto, ou uma presença maligna, alucinações visuais e auditivas;
  • Experiência corporal incomum: a pessoa tem a sensação de flutuar, sair do corpo e se ver na cama, como se estivesse acima; pode ter ilusões de movimento;
  • Incubus: sensação de pressão no peito e falta de ar.

Na prática, a paralisia acontece durante a passagem do estado de sono para o de vigília, ou vice-versa, quando os movimentos musculares voluntários são inibidos. 

Nesse momento, os movimentos oculares e respiratórios permanecem inalterados e a percepção do ambiente é clara. Um processamento neural na região lateral e no topo do cérebro são alterados, “tornando-se participantes da integração de informações visuais, auditivas, vestibulares e proprioceptivas para codificar as imagens corporais e a noção de ‘si’”.

Ao passo que as alucinações, um dos sintomas da paralisia do sono são associadas ao fato de entrarmos e sairmos de forma abrupta da fase REM, uma das etapas do estado de sono, responsável pela ocorrência dos sonhos.

Assim como os sonhos, as alucinações são formadas por eventos visuais vívidos e repletos de emoção. Mas enquanto todo o corpo está paralisado, o coração, o pulmão e as genitais não.

Consequências da paralisia do sono

Uma crise de paralisia do sono pode ter diversas consequências na relação da pessoa com a hora de dormir, gerando ansiedade, insônia e até mesmo medo. Contudo, não para por aí. 

Os efeitos negativos desse fenômeno também se farão presentes no dia a dia, gerando mais cansaço, provocando sonolência diurna, falta de concentração e memória, interferindo no desempenho escolar ou no trabalho.

O mesmo se dá no relacionamento com outras pessoas, fazendo com que haja um afastamento de grupos sociais e uma constante sensação de desmotivação.

Imagem de uma mulher dormindo em cima da mesa do trabalho.
Entre as consequências da paralisia do sono está o excesso de cansaço.

O que causa paralisia do sono?

Os estudos em torno do fenômeno ainda são mínimos, fazendo com que as causas não sejam tão claras assim.

A hipótese mais considerada é esse desregulamento das mudanças na atividade cerebral entre a fase REM e o acordar. 

Contudo, há investigações relacionando-a também a outros aspectos, como: uso de substâncias; estresse e trauma; influências genéticas; crenças anômalas; problemas e distúrbios de sono (tanto em termos de qualidade subjetiva do sono e perturbação objetiva do sono) e transtornos psiquiátricos.

Publicada em 2018 por pesquisadores britânicos, uma revisão sistemática de estudos em torno do tema apresentou o transtorno de estresse pós-traumático como o fator de risco mais comum para a paralisia do sono, seguido do transtorno do pânico.

Além disso, o fenômeno é um dos sintomas da narcolepsia — distúrbio crônico que gera sonolência diurna em excesso.

A lenda em torno da paralisia do sono

Se você tiver medo, sugerimos que siga para o próximo tópico e ignore este. Mas a título de curiosidade, vale saber que, no Brasil, algumas crendices populares alegam que a experiência assustadora da paralisia do sono está diretamente relacionada a fenômenos paranormais, como bruxaria, abdução por alienígenas, etc.

Uma lenda bem comum no país é da Pisadeira, já ouviu falar? Caracterizada como uma idosa de unhas compridas que se esconde nos telhados à noite, ela entra nas casas e pisa no peito de quem dorme de barriga para cima — um dos possíveis gatilhos para o fenômeno…

Desenho representando a lenda da Pisadeira, na qual uma idosa de unhas compridas pisa no peito de quem dorme de barriga para cima.
Muitas são as lendas em torno da temática da paralisia do sono.

O que fazer durante uma crise de paralisia do sono?

Normalmente, após alguns minutos lidando com o episódio, que não costuma ser recorrente, é comum que o corpo volte ao normal completamente. 

Se esse não for o caso e as crises forem frequentes (pelo menos dois episódios em um período de seis meses), então ela será considerada uma doença, sendo associada a uma forte carga emocional. 

Portanto, se você enfrenta a paralisia do sono ou conhece alguém que passa constantemente por esses episódios, não hesite em procurar um profissional da saúde para receber o diagnóstico e o tratamento adequado.

Agora que você já sabe mais sobre o que é a paralisia do sono, as possíveis causas e as consequências desse fenômeno, que tal receber mais informações relacionadas ao sono diretamente na caixa de entrada do seu e-mail? Para isso, preencha o formulário abaixo para se inscrever na newsletter da Probel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *