Estátua do deus do sono: Hipnos.
Casa e decor,  Durma melhor

Curiosidade mitológica: conheça o deus do sono

Com certeza você já ouviu falar sobre os chamados deuses — divindades mitológicas presentes em um conjunto de lendas, ou seja, narrativas fantásticas responsáveis por explicar e relatar a origem e as crenças de um povo. Durante a antiguidade, elas definiram a conjuntura de sociedades como a grega, a romana e a egípcia.

São muitos os deuses presentes na história, responsáveis por protagonizar as mais diversas aventuras. Neste texto, você vai conhecer quem é o deus do sono na mitologia grega, assim como o mito que o envolve. Ficou curioso para saber mais? Continue a leitura!

Qual o nome do deus do sono?

O deus do sono grego é Hipnos ou Hypnos (em grego: Ὕπνος, transl.: Hypnos, lit. “sono”). Considerado filho da deusa da noite, Nix, e de Érebo, símbolo da escuridão que fazia parte do mundo no instante da criação. Era irmão de:

  • Tânato, ou Thanatus: deus da morte, de quem era gêmeo
  • Éter: deus do céu
  • Hespérides: deusa da tarde
  • Filotes: deus da amizade
  • Geras: deus da velhice
  • Momo: deus da ironia e do sarcasmo
  • Oizus: deus da miséria
  • Nêmesis: deusa da vingança
  • Quer: deusa do destino do homem em seus momentos finais
  • Moros: deus do quinhão que cada homem receberá em vida
  • Morfeu: deus dos sonhos bons ou abstratos

Na epopéia a Ilíada, de Homero, Hipnos vive em Lemmos, ao lado da esposa Grácia Pasitea, presenteada a ele por Hera, deusa da família e dos ciúmes, pelos serviços prestados. 

Era pai de vários filhos, entre eles Ícelo, criador dos pesadelos; e Fântoso, responsável pelos artefatos sem vida que também estão presentes nas visões oníricas explicadas por Freud, que se assemelham ao pensamento de vigília (quando estamos acordados), porém sobre o comando do nosso inconsciente. A única filha mulher de Hipnos é Fantasia, deusa do delírio.

Quanto à configuração do deus do sono, ela é a de um humano. Contudo, segundo a história, ao repousar ele se transforma em ave.

Ele é considerado um dos daemons gregos, ou seja, um dos deuses que interferem no espírito dos mortais. Ao passo que o equivalente dele na mitologia romana é Somno.

Escultura da cabeça de bronze de Hipnos no Museu Britânico, com reconstrução moderna do torso. Foto: Reprodução/British Museum.
Escultura da cabeça de bronze de Hipnos no Museu Britânico, com reconstrução moderna do torso. Foto: Reprodução/British Museum.

O mito do deus grego Hipnos

Narra-se que Hipnos, na mitologia grega, pairava de forma suave sobre o planeta e, assim, fazia com que todas as criaturas tivessem um descanso abençoado e restaurador.

Conta-se ainda que o palácio de Hipnos ficava em uma vasta cavidade, extremamente profunda, em uma região habitada por um grupo que, de acordo ainda com Homero, eram eternas trevas desde a sua existência.

O historiador Heródoto os descrevia como os primitivos moradores da Rússia Meridional. Com o tempo, eles foram deslocados ao longo do Cáucaso para a região da Ásia Menor.

Nas proximidades da abertura da caverna que dava acesso ao local, desenvolviam-se papoulas, planta conhecida popularmente como “dormideira”, e demais vegetais. Acreditava-se que era delas que Hipnos retirava o sono, que era disseminado sobre a terra dominada pelas sombras.

Na margem oposta a essa região fluía o Lete, o chamado rio do esquecimento. Nas bordas dele cresciam inúmeras dessas plantas que, com um sussurro suave, assim como o lamento tranquilo das águas, faziam adormecer os seres. 

A região era de muita paz e, no interior do palácio, em um belo leito preservado por cortinas escuras, Hipnos repousava, longe da luz do sol e zelado por Morfeu.

Ele costumava trajar peças nos tons dourados e tinha cabelos da mesma cor, exatamente como Tânatos, seu irmão gêmeo, sempre representado na coloração prateada, criando, assim, um contraste.

Além disso, Hipnos é retratado, em algumas situações, como um rapaz dotado de asas, com uma flauta nos lábios — responsável por emitir melodias que levam o sono aos homens. Ao passo que seus atributos incluem um chifre contendo ópio, um talo de papoula, um ramo gotejando água do rio Lete e uma tocha invertida.

Hipnos na cultura moderna

Com certeza você já ouviu falar da hipnose, um estado de consciência que envolve atenção focada e uma chamada consciência periférica reduzida, tendo sido pesquisada por grandes estudiosos da mente, como Franz Anton Mesmer e Sigmund Freud. Ambos utilizavam a técnica para obter as memórias reprimidas de seus pacientes, ainda que tenha abandonado-as tempos depois.

Pois bem, é Hipnos, o deus do sono, que dá nome a ela, assim como ao tratamento da hipnoterapia.

E, se você é fã de séries, ou melhor, de desenhos, Hipnos também está presente em Os Cavaleiros do Zodíaco, um anime adaptado de um mangá que foi transmitido no Brasil durante os anos 1980. Nele, Hypnos é um dos deuses conselheiros de Hades.

Representação do deus Hipnos na série Os Cavaleiros do Zodíaco.
Representação do deus Hipnos na série Os Cavaleiros do Zodíaco. Foto: Reprodução/Blog cavaleiros.wordpress.com.

Agora que você já sabe quem é o deus do sono, assim como a personalidade e o mito que narra a história dele, lembre-se apenas de nunca associá-lo ao cansaço, à fadiga.

Para receber mais curiosidades e informações relacionadas ao universo do sono diretamente na caixa de entrada do seu e-mail, preencha o formulário abaixo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *