Durma melhor,  Saúde

Entenda como trocar o dia pela noite pode influenciar na sua saúde

Insônia, trabalho, estudos, uma nova paquera, jogar videogame até tarde… São várias as causas que nos levam a trocar o dia pela noite. No entanto, será que esse costume faz bem à saúde?

Inúmeras pesquisas confirmam que alterar nosso relógio biológico não só aumenta o risco de desenvolver doenças, como também impede reações naturais e essenciais ao nosso corpo, o que pode gerar uma série de consequências alarmantes, como diminuir drasticamente nosso tempo de vida. 

Quer saber mais sobre os prejuízos à saúde que essa prática pode ocasionar? Continue a leitura deste texto!

Problemas que trocar o dia pela noite ocasionar

Segundo especialistas, dormir por apenas cinco horas ou menos por dia pode aumentar cerca de 15% os riscos de mortalidade de uma pessoa. O recomendado é que o corpo descanse entre sete e nove horas todos os dias.

Afinal, é durante o sono que o organismo trabalha fortalecendo o nosso sistema imunológico. Enquanto você dorme, ele repõe as energias perdidas ao longo do dia e regula o metabolismo, fatores essenciais para manter o corpo e a mente saudáveis.

Imagem de um rapaz deitado sob os livros tarde da noite.
Recomenda-se que o corpo descanse de sete a nove horas diariamente.

Contudo, se virar a noite acordado é um costume que faz parte da sua rotina, saiba que há grandes chances de você desenvolver ou precisar lidar com algum (ou alguns) dos seguintes problemas:

Problemas no intestino

De acordo com Hans Van Dongen, do Centro de Pesquisas de Sono e Performance da Universidade do Estado de Washington, um dos primeiros sintomas que experimentamos ao alterar nosso horário de sono é um desconforto gastrointestinal, pois o intestino perde o sincronismo do nosso relógio biológico central.

Da mesma forma, a falta de sono também está entre os fatores que aumentam os riscos de desenvolver uma doença conhecida como colite ulcerativa cujos sintomas envolvem diarreia frequente durante o dia, cólicas, perda de apetite e de peso, febre e pus nas fezes. 

Os apontamentos sobre essa doença são resultado de uma pesquisa realizada por Ashwin Ananthakrishnan, no Hospital Geral de Massachusetts, Estados Unidos, e publicada na revista científica Clinical Gastroenterology and Hepatology. 

Aumento do risco de acidentes

Com o sono desregulado, nossa capacidade de concentração também fica muito menor. Os erros podem ser pequenos e até passar despercebidos, como esquecer algo em casa. No entanto, podem também acabar atrapalhando no trabalho ou, pior, causar acidentes domésticos ou de trânsito. 

Uma noite mal dormida é uma das principais condições de saúde que mais motivam acidentes de trânsito nas rodovias brasileiras, segundo levantamento recente da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet). Conforme a publicação, foram 22,6 mil acidentes registrados nas rodovias, responsáveis por 2.092 mortos e 22.645 feridos, entre 2014 e julho de 2020.

Imagem de uma mulher com sono, deitada sob o volante do carro.
O sono foi responsável por mais de 22 mil acidentes nas rodovias brasileiras, segundo a Abramet.

Descontrole do apetite

Estudos também indicam que as pessoas que têm o sono desregulado possuem o índice de massa corporal (IMC) maior do que aquelas que dormem entre sete e oito horas. O cálculo é utilizado para avaliar se você está dentro do seu peso ideal em relação à altura.

Se dormirmos pouco, os hormônios relacionados à saciedade podem sofrer alteração, nos levando a consumir mais açúcar, por exemplo, e, consequentemente, elevar as chances de desenvolver doenças como hipertensão e diabetes. 

Aumento do nível de estresse

Um sono regulado ativa mais áreas emocionais no nosso cérebro. Dormir durante o dia, com luminosidade, não é fisiologicamente a mesma coisa que dormir à noite, com a ausência da luz. 

Segundo Paulo Giorelli, chefe do Departamento de Obesidade da Abran, essa luz caminha até o hipotálamo, que regula o ritmo circadiano e, a partir daí, começa um estresse crônico que altera o equilíbrio corporal.

Nesse sentido, evitar o uso de telas durante o período pré-sono é extremamente importante, pois a luz do celular conta com propriedades que cortam a secreção de melatonina, hormônio liberado pela glândula pineal que interfere diretamente na regulamentação dos padrões de sono.

Obesidade

Como citado, dormir mal pode mexer com a nossa saciedade e elevar o IMC. 

No caso de crianças e adultos que dormem menos de seis horas por noite, a propensão ao ganho de peso é maior do que para aqueles que possuem hábitos saudáveis de sono.

Imagem de dois pés sob uma balança. Está escrito "help", socorro em inglês.
Pessoas que dormem menos do que o recomendado são mais propensas à obesidade.

Maior propensão a transtornos mentais

Trocar o dia pela noite também pode estar relacionado a transtornos mentais, como depressão e ansiedade.

Conforme a pesquisa O Sono e os Transtornos do Sono na Depressão, de Sarah Laxhmi Chellappa e John Fontenele Araújo, “aproximadamente 80% dos pacientes depressivos apresentam queixas pertinentes às mudanças nos padrões do sono. Entre as principais alterações é destacada a insônia, considerada um importante preditor do aumento do risco de depressão no seguimento de um a três anos”.

Risco de morte prematura

Estudo feito pela Escola de Medicina da Universidade Northwestern concluiu que pessoas que trocam o dia pela noite têm 10% mais chances de sofrerem morte prematura. Além disso, quem acorda mais tarde tem tendência maior de ter problemas físicos ou mentais.

Principais benefícios de acertar seu relógio biológico

Agora que você já sabe os problemas de trocar o dia pela noite, vale salientar quais são as diversas vantagens de deixar esse costume de lado.

Isso porque um sono de qualidade e por tempo adequado pode proporcionar diversos benefícios à saúde, como o fortalecimento do sistema imunológico, a liberação da produção de alguns hormônios e a consolidação da memória. Outros benefícios de uma boa noite de sono incluem:

Rejuvenesce a pele

Uma boa noite de sono diminui rugas e linhas de expressão faciais, porque é durante a noite que ocorre a renovação celular. 

Durante o sono também há maior produção de melatonina, hormônio que atua como antioxidante natural, combatendo os radicais livres e prevenindo o envelhecimento da pele.

Imagem de uma mulher, em frente a um espelho, acariciando a própria pele.
Uma boa noite de sono pode te ajudar a manter a pele saudável.

Combate às doenças cardiovasculares

Inúmeras pesquisas já comprovaram que uma noite desregular de sono pode levar ao aumento nos hormônios do estresse, como o cortisol, o que representa um desequilíbrio na produção de substâncias do nosso corpo.

Esse aumento obriga seu coração a trabalhar mais para bombear o sangue e, consequentemente, você fica mais agitado e estressado, o que pode elevar o risco de ter hipertensão, desenvolver colesterol alto e, até mesmo, sofrer ataque cardíaco.

Fortalece a memória

Durante o descanso, ocorre a síntese de proteínas responsáveis pelas conexões neurais, aprimorando habilidades como memória e aprendizado. 

As pessoas que conseguem ter uma boa noite de sono acabam armazenando corretamente no cérebro as novas informações que adquiriram ao longo do dia.

Reduz o estresse

Quem nunca acordou de mau humor e passou o resto do dia esbravejando com tudo e todos? Enquanto dormimos, o corpo diminui a produção de cortisol e adrenalina, ajudando a reduzir o estresse. 

A melatonina ganha espaço também, afinal ela participa do processo de reparação das nossas células, agindo sobre aquelas que ao longo do dia foram expostas ao estresse. 

Imagem de uma mulher sentada em um sofá. Ela está com uma boa aparência e um sorriso nos lábios.
Uma boa noite de sono, no horário correto, proporciona diversos benefícios ao equilíbrio do corpo e da mente.

Previne a depressão 

Estudo feito em uma clínica do sono em Ohio, nos Estados Unidos, analisou 10 mil pessoas e comprovou que as chances de alguém desenvolver depressão pode ser bem menor se ela dormir corretamente, entre seis e nove horas por dia.

Os resultados mostraram que pessoas com uma noite de sono ruim sofreram piora considerável na qualidade de vida, causando índices de depressão mais altos.

Como parar de dormir tarde?

Até aqui, entendemos que biologicamente somos programados para dormir à noite. Em geral, a falta de uma boa noite de sono pode causar problemas de saúde, diminuir a expectativa de vida e influenciar no bem-estar diário. 

Contudo, com as desvantagens e as vantagens em mãos, o grande desafio a partir de agora é saber o que fazer para acostumar o corpo a dormir cedo, não é mesmo?

Uma ótima dica é começar a estabelecer uma meta aos poucos e aumentá-la gradualmente. Você pode iniciar estipulando um horário mais cedo do que aquele que usualmente costuma ir para cama, ajustando a cada semana, por exemplo, além de evitar tirar pequenos cochilos ao longo do dia.


Imagem de um dedo masculino desligando o interruptor.
Na hora de ir para cama, lembre-se de apagar as luzes.

Criar um ambiente propício ao sono também ajuda muito a dormir bem. Manter o quarto escuro, confortável e silencioso é tão fundamental quanto deixar a nossa mente relaxada para não ficar martelando os problemas do dia a dia.

Encerre seu dia de trabalho antes de deitar, procure relaxar durante duas ou três horas antes de ir para a cama e garanta que não haverá imprevistos que possam atrapalhar o seu descanso.

Outro conselho importante é sobre a alimentação. É necessário evitar alimentos pesados e estimulantes antes de dormir, como café, canela, pimentas e aqueles com excesso de açúcar. Eles podem e vão prejudicar o seu sono!

Se você não conseguir dormir em 30 minutos, o melhor a fazer é se levantar e procurar realizar uma atividade relaxante, como ouvir uma música suave, ler um bom livro ou até mesmo meditar. Até a prática do ASMR vale!

O fato é que o estresse e a ansiedade podem desempenhar um grande papel na insônia e essas práticas podem ajudar você a aliviar sentimentos negativos.

Já se a sua rotina exige que você trabalhe no período noturno, o aconselhável é dormir sempre nos mesmos horários, bloquear toda entrada de luz com cortinas mais grossas e, dentro do possível, providenciar o melhor isolamento acústico para manter o ambiente um pouco mais silencioso. 

Muitas vezes, isso é impraticável, o que piora ainda mais a qualidade do sono. No entanto, vale a pena tentar.

Imagem de um homem deitado na cama, aparentando sonolência, na frente de um computador.
A definição de uma rotina é fundamental para a regulação do sono.

A definição de uma rotina é fundamental para a regulação do sono.

Não é novidade ou segredo: dormir bem é essencial para conseguir realizar as tarefas diárias com disposição e vigor. Sem uma noite de sono adequada, vários aspectos podem ser prejudicados, como você conferiu neste texto. 

O importante é que você encontre a melhor forma de conseguir isso para que outros setores da sua vida possam correr normalmente.

Se você gostou deste texto e quer receber mais conteúdos semelhantes sobre saúde do sono e muito mais, assine a newsletter da Probel preenchendo o formulário abaixo!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0